Membros Fundadores:

Cadeira 1

Adolpho Crippa

Nasceu em Farroupilha, Rio Grande do Sul. Faleceu em São Paulo, em 2000. Formou-se em Filosofia em São Paulo, licenciando-se em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma. Frequentou os cursos da Academia Romana de Santo Tomás de Aquino. Doutorou-se em filosofia na Universidade Gama Filho, do Rio de Janeiro (1983). Tornou-se professor titular de Filosofia Geral e Ética na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1960. Foi ainda membro do Instituto Brasileiro de Filosofia e da Sociedade dos Filósofos Católicos. Em 1962 fundou o Convívio - Sociedade Brasileira de Cultura, que funcionou ininterruptamente durante mais de 30 anos, período durante o qual prestou relevantes serviços à cultura brasileira, através de cursos, da Revista Convivium e da Editora Convívio.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 2

Almir Bonfim de Andrade

Nasceu no Rio de Janeiro, a 5 de novembro de 1911. É autor de um dos primeiros estudos sobre Freud no Brasil. Inaugurou a cadeira de Psicologia no currículo de Filosofia da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, por ocasião de sua fundação, em 1939. Foi sub-chefe do gabinete civil da presidência da República no governo Getúlio Vargas (1951-1954). Fundou e dirigiu, durante cinco anos (1941-1945) a revista Cultura Política, cujos 53 volumes publicados e, hoje, reputados por críticos e historiadores, um dos mais valiosos documentários de toda uma época da vida brasileira. Colaborou em duas revistas acadêmicas, A Época e a Revista de Estudos Jurídicos.  Em 1933, começou a colaborar intensamente em várias revistas literárias como Literatura, Dom Casmurro, Boletim de Ariel, Lanterna Verde e Revista do Brasil. Vários de seus trabalhos apareceram em separatas da  Revista de Informação Legislativa do Senado Federal. Pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia, tendo falecido em 1991.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 3

Ana Maria Moog Rodrigues

Nasceu em Porto Alegre a 3 de março de 1936. Concluiu, em 1956, o bacharelado em filosofia na PUC do Rio de Janeiro, licenciando-se em filosofia e história no ano seguinte,  tendo obtido o grau de mestre (Master of Arts) na Universidade de Kansas, nos Estados Unidos (1961). Doutorou-se em filosofia na Universidade Gama Filho (1983) e frequentou a Universidade Nova de Lisboa, em pós-doutoramento dedicado à filosofia portuguesa (1992). Seguiu carreira no magistério, inicialmente na PUC-RJ e depois na Universidade Gama Filho, onde tornou-se professora titular. Pertenceu também ao Corpo Docente do Centro Federal de Educação Tecnológica – CEFET, igualmente no Rio de Janeiro. Destacou-se no grupo de estudiosos da filosofia brasileira, pertencendo ao Instituto Brasileiro de Filosofia, à Academia Brasileira de Filosofia e ao Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, de Lisboa.

Bibliografia e estudos sobre a autora:

Cadeira 4

Antônio Carlos Villaça

Nasceu no Rio de Janeiro, a 31 de agosto de 1928. Fez estudos de humanidades no Instituto Lafayete e de direito na Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ). Tentou sem sucesso seguir a carreira sacerdotal, ingressando sucessivamente na Ordem de São Bento, na Ordem dos Dominicanos e em seminário secular.  Em que pese não haja revelado vocação para aquele mister, tornou-se destacado representante do pensamento católico brasileiro, com grande atuação no Centro Dom Vital, ao tempo em era dirigido por Alceu Amoroso Lima. Durante muitos anos escreveu sobre assuntos religiosos no Jornal do Brasil. Simultaneamente ganhou reconhecida nomeada como crítico literário. Foi eleito para o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, em 1984. Foi membro da Academia Brasileira de Arte, a partir de 1982, e da Academia Brasileira de Filosofia, desde sua fundação, em 1989. Foi também vice-presidente do Pen Clube, escolhido em 1976 e sucessivamente reeleito. Faleceu a 28 de maio de 2005.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 5

Antônio Ferreira Paim

Nasceu em Jacobina, Bahia, a 7 de abril de 1927.  Na década de cinquenta concluiu os cursos de filosofia da Universidade Lomonosov, em Moscou, e da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Iniciou, nos anos sessenta, carreira universitária, tendo ensinado sucessivamente na UFRJ, na PUC-RJ e na Universidade Gama Filho, sendo nesta professor titular e livre docente. Na PUC-RJ organizou e coordenou o Curso de Mestrado em pensamento brasileiro. Na UGF, juntamente com o professor português Eduardo Soveral, implantou o Curso de Doutorado em Pensamento Luso-Brasileiro. Aposentou-se em 1989 mas mantém-se ligado a universidades brasileiras e portuguesas, onde continua desenvolvendo pesquisas. Preside o Conselho Acadêmico do Instituto de Humanidades. No Instituto Brasileiro de Filosofia, presidido pelo prof. Miguel Reale, ajudou a implantar a pesquisa e a reedição de textos na área da filosofia brasileira. Paralelamente e desde os anos cinquenta, integra a consultoria brasileira , onde teve oportunidade de participar de importantes projetos. Pertence ainda à Academia Brasileira de Filosofia, ao PEN Clube, ao Instituto Histórico, à Academia das Ciências de Lisboa e ao Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, sediado em Lisboa. É presidente do Centro de Documentação do Pensamento Brasileiro (CDPB), organizado em Salvador a partir da sua biblioteca particular.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 6

Antônio Xavier Teles

Cadeira 7

Aquiles Côrtes Guimarães

Nascido no interior do município de Aimorés, no Estado de Minas Gerais em 1937, radicou-se no Rio de Janeiro onde concluiu o bacharelado em Filosofia (Faculdade Nacional de Filosofia, da antiga Universidade do Brasil) e em Direito (Universidade Federal Fluminense). Fez mestrado em Filosofia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1977) e o doutorado em  Filosofia na Universidade Gama Filho (1982). Dedicou-se ao magistério na Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (tendo ali implantado  o estudo de filosofia brasileira) e na Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ. Nesta, exerceu altos cargos da administração e implantou a cadeira e a pós-graduação em Filosofia do Direito. Aposentando-se na UERJ em 1992 assumiu (1996) a chefia do Departamento de Filosofia do IFCS/UFRJ. Presidiu a seção do Rio de Janeiro do Instituto Brasileiro de Filosofia e pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 8

Benedito Nunes (José Viana da Costa)

 Nasceu em Belém, Pará, a 21 de novembro de 1929. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito do Pará em 1952. Em 1960 realizou curso de especialização em filosofia no College de France e na Sorbonne, na França. Seguiu carreira universitária pertencendo ao Corpo Docente da Universidade Federal do Pará, a que permanece ligado ainda que jubilado. Ministrou cursos em outras instituições do país, entre estas a UNICAMP, sendo ainda assíduo colaborador na imprensa periódica e em revistas especializadas. Alcançou renome no país e no exterior por sua obra dedicada à estética. Pertenceu ao Instituto Brasileiro de Filosofia e à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 9

Cândido António Mendes de Almeida

Nasceu no Rio de Janeiro a 3 de junho de 1928. Em 1950 diplomou-se pelas Faculdades de Direito, e Filosofia da PUC da Guanabara. Membro fundador do IBESP e do ISEB, onde chefiou, sucessivamente, de 1956 a fins de 60, os Departamentos de História e de Política. Fundou com Eduardo Portela em 1961, o Instituto Brasileiro de Estudos Afro-Asiáticos, tendo sido o seu diretor executivo. Em 1963 criou o Instituto Universitário do Rio de Janeiro. Pesquisador associado do “Center for International Affairs” da  Universidade de Harvard. Diretor da Revista “Dados”. Sucedendo a seu pai, dirigiu, a Sociedade Brasileira de Instrução, e as entidades por elas mantidas entre as quais a Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro e a Faculdade de Direito Cândido Mendes, posteriormente transformada em Universidade Cândido Mendes.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 10

Cassiano Cordi

Filósofo formado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná(1968), graduação em Teologia pela Sthudium Theoligicum(1969), mestrado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro(1985), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(1980), doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho(1986) e pós-doutorado pela Universitá Degli Studi Di Trieste(1992). 

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 11

Celina Junqueira

Cadeira 12

Creusa Capalbo

Nasceu no Rio de Janeiro em 1934. Docente de filosofia, fez a sua formação filosófica na Universidade Católica de Lovaina (Bélgica), onde defendeu teses de mestrado e doutorado, esta intitulada L’historicité chez Merleay-Ponty. Pertenceu ao corpo docente do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade do Rio de Janeiro, até jubilar-se na década de noventa. Manteve, entretanto, diversas atividades. Ocupa posição de destaque na corrente fenomenológica, que no Brasil encontra grande receptividade, notadamente entre psiquiatras e psicanalistas. Tem defendido em livros e frequentemente em revistas a tese de que fenomenologia corresponde basicamente a método aplicável às ciências humanas. Pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia e ao Instituto Brasileiro de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre a autora:

Cadeira 13

Danton Voltaire Pereira de Souza

Cadeira 14

Djacir Menezes

Nasceu em Maranguape, Ceará, a 16 de novembro de 1907. Fez o curso de humanidades no Ceará. Iniciou o curso de direito na Faculdade de seu Estado natal mas o concluiu na Faculdade Nacional de Direito. Cursou doutorado na Faculdade de Direito do Ceará, defendendo tese em 1932. Ingressou em seu Corpo Docente, tornando-se catedrático de introdução à ciência do direito. Desde os anos quarenta, radicou-se no Rio de Janeiro, tendo ganho por concurso cadeiras na Faculdade de Filosofia e na Faculdade de Economia na UFRJ, então Universidade do Brasil. Nessa instituição exerceu altos cargos dirigentes, entre  estes diretor da Faculdade de Economia e reitor. Jubilando-se, foi tornado Professor Emérito. Fundador e diretor do Centro de Estudos Brasileiros na capital Argentina e do Centro Cultural Brasil-Bolívia, em La Paz. Membro do Conselho Federal de Cultura, pertenceu ao Instituto do Ceará, ao Instituto Brasileiro de Filosofia, ao Instituto Histórico Brasileiro e a diversas outras instituições culturais. Faleceu no Rio de Janeiro em 9 de junho de 1996, aos 88 anos de idade.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 15

Emmanuel Carneiro Leão

Graduou-se em Filosofia em 1959, pelo Pontifício Atheneo Antoniano, e doutorou-se pela Universidade de Freiburg. Pertenceu à Ordem dos Franciscanos mas, devido a uma crise de fé, interrompeu a sua formação sacerdotal em Roma, e foi estudar na Alemanha. Lá foi aluno de Heidegger, cujo pensamento foi objeto de estudos de seus mestrado e doutorado. Quando retornou ao Brasil, tornou-se, junto com Vicente Ferreira da Silva, Ernildo Stein e Benedito Nunes um dos principais teóricos da filosofia de Heidegger. No Brasil, desenvolveu sua própria filosofia sobre a experiência e o realizar do homem em sua existência. Para ele, a Filosofia do século XX é notória por ter a ampliado a experiência humana e questionado a história como processo de realização. Leão transitou por diversas área das Ciências Humanas, tais como a comunicação a teologia e a psicanálise. Fez ainda diversas palestras na Academia Brasileira de Letras, sobre temas variados. É professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 16

Dom Estevão Bettencourt, O.S.B.

Realizou seus estudos fundamentais no Colégio São Bento do Rio de Janeiro. Entrou para o Mosteiro de São Bento em 1 de fevereiro de 1936. Recebeu o hábito no mês de outubro do ano seguinte, quando realizou seus primeiros votos na sala capitular do mosteiro. Por causa de sua devoção aos mártires da Igreja nascente, foi-lhe dado, como padroeiro monástico, Santo Estêvão. Em novembro de 1937, o abade do Rio de Janeiro, Dom Tomás Keller, considerando a sua inteligência destacada, enviou-o a Roma, para estudar Filosofia no Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, onde obteve o grau de bacharel, em 7 de novembro de 1939; e o de doutor, em novembro de 1944, com a defesa de sua tese sobre Orígenes: Doctrina Ascetica Origenis seu quid docuerit de Ratione animæ humanæ cum dæmonibus. Voltou ao Brasil em 1945. ​Foi diretor e redator da primeira revista sobre Apologética Católica do Brasil, a Pergunte & Responderemos (PR), publicação mensal do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, desde 1957 até 2008. Foi editor da edição brasileira da revista COMMUNIO desde sua fundação em 1982, até 2001. Faleceu em 2008.

Bibliografia e estudos sobe o autor:

Cadeira 17

Evaldo Pauli

 Nasceu a 24 de fevereiro de 1925, em Antonio Carlos, nas proximidades de Florianópolis, Santa Catarina. Frequentou o seminário de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, entre 1943 e 1949, sagrando-se sacerdote aos 24 anos. Pertenceu ao clero de Florianópolis até 1967, quando solicitou afastamento. Desde 1955 havia se tornado membro do Corpo Docente da Faculdade de Filosofia, posteriormente integrada à Universidade Federal de Santa Catarina. Em sua carreira de professor de filosofia, chegou a titular, aposentando-se em 1985. Com o propósito de estimular atividades culturais e promover o estudo de temas regionais, organizou, na capital catarinense, em 1959, a Sociedade Biblioteca Superior de Cultura, que desenvolveu amplo programa editorial. Interessando-se pela difusão do esperanto, juntamente com outros estudiosos organizou, em 1983, a Associação Mundial de Filosofia, tornando-se seu presidente. Essa entidade programou a edição de uma Enciclopédia de Filosofia, em dez volumes, em esperanto, a ser posteriormente traduzida para a língua dos países participantes. Pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 18

Evaristo de Moraes Filho

Nasceu a 5 de julho de 1914, na cidade do Rio de Janeiro então Capital Federal, filho do conhecido jurista e homem público Evaristo de Moraes. Em sua formação, foi muito marcado pela frequência ao Ginásio 28 de Setembro, dirigido pelo General Liberato Bittencourt, que era um dos remanescentes do cientificismo das primeiras décadas do século. Bacharelou-se em Direito, pela Universidade do Brasil, em 1937, concluindo o bacharelado e a licenciatura em Filosofia respectivamente em 1948 e 1949. Tornou-se um dos mais importantes estudiosos do Direito do Trabalho. Em sua carreira universitária, na antiga Universidade do Brasil (atual UFRJ) foi livre docente e catedrático de Direito do Trabalho bem como titular de Filosofia Social. Fundou o dirigiu o Instituto de Ciências Sociais (IFCS), que passou a absorver os cursos de Filosofia e História, além das Ciências Sociais, com a extinção da Faculdade Nacional de Filosofia, deixando portanto de ser um centro de pesquisa, como imaginava seu fundador. Foi eleito para a Academia de Letras em 1984. Membro do Instituto Brasileiro de Filosofia e da Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 19

Francisco Martins de Souza

Nasceu no Rio Grande do Norte, a 12 de novembro de 1925. Seguiu inicialmente carreira técnica, optando na década de setenta, com mais de quarenta anos, por adquirir formação filosófica. Concluindo o bacharelado em filosofia na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi convidado a ingressar no Corpo Docente do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, onde permaneceu até aposentar-se, em 1995, tendo chegado a professor adjunto. Pertenceu também à Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Gama Filho, como professor titular. Fez mestrado (PUC do Rio de Janeiro) e doutorado em filosofia (Universidade Gama Filho). Especializou-se em filosofia brasileira e pensamento político brasileiro, atividade em que alcançou amplo reconhecimento. Pertence à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 20

Gerardo Mello Mourão

Cadeira 21

Gerd Alberto Bornheim

Nasceu em Caxias do Sul no Estado do Rio Grande do Sul em 1929. Bacharelou-se em filosofia na PUC - Porto Alegre (1951). Foi a Paris como bolsista da Alliance Française. Frequentou cursos na Sorbone. Estudou também, em Oxford (Inglaterra) e Freiburg (Alemanha). Fez carreira universitária na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, transferindo-se para a Universidade Federal do Rio de Janeiro onde se jubilou. Além de importante obra filosófica inspirada no existencialismo de vinculação marxista sob a influência prevalecente de Sartre, consagrou-se como estudioso do teatro. Pertenceu a Academia Brasileira de Filosofia. Faleceu, no Rio de Janeiro, a 6 de setembro de 2002, com 73 nos incompletos.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 22

Jorge Jaime de Souza Mendes

Nasceu a 23 de maio de 1925, no Rio de Janeiro. Concluiu a Faculdade de Direito em 1948, aos 23 anos de idade. Frequentou também os cursos de filosofia e psicologia da Faculdade Nacional de Filosofia e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Preferiu o magistério, tornando-se o titular da cadeira de psicologia da Escola de Teatro Martins Pena, mantida pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, regendo-a ao longo de 23 anos. Ao mesmo tempo, organizou e dirigiu escolas secundárias, nas quais cuidou de aprimorar o ensino técnico, por atribuir-lhe vital importância para o país. Fundou a Academia Brasileira de Filosofia, sendo o seu primeiro Presidente, cargo que ocupou entre 1989 e 1992. A par da obra filosófica, publicou textos literários e didáticos, entre estes um dicionário de português. Assíduo colaborador na imprensa periódica e nas revistas de filosofia. Sua História da Filosofia no Brasil, cuja publicação foi iniciada em 1997, compreende quatro volumes. Idênticas dimensões tem a obra inédita dedicada à Axiologia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 23

José Carlos Rodrigues

Cadeira 24

José Guilherme Merquior

Cadeira 25

Luiz Sérgio Coelho de Sampaio

Cadeira 26

Leonardo Prota

Nasceu na Itália a 18 de julho de 1930, radicando-se no Brasil e naturalizando-se brasileiro. Antes de mudar-se para o nosso país, residiu no México. Concluiu sua formação universitária na Itália tendo cursado o mestrado nos Estados Unidos, na área de Educação (City University of Los Angeles). No Brasil, fez doutorado em Filosofia na Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro (1981). Como pós-doutoramento, desenvolveu pesquisa relacionada à Filosofia Italiana na Universidade de Bari (Itália), achando-se até o presente vinculado à instituição. Destacou-se como educador, organizando colégios no Norte do Paraná e, posteriormente, uma das primeiras escolas brasileiras na área de informática (Faculdades Associadas de São Paulo). Desde meados da década de oitenta fixou residência em Londrina, integrando-se ao Corpo Docente da UEL - Universidade Estadual de Londrina, onde coordenou o curso de pós-graduação em Filosofia, fundou e dirige a Editora da Universidade. É um dos fundadores do Instituto de Humanidades, sendo seu diretor executivo. Assumiu a coordenação dos estudos relacionados à Filosofia Brasileira, realizando em Londrina, desde 1989, a cada dois anos, os Encontros Nacionais de Professores e Pesquisadores da Filosofia Brasileira.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 27

Leônidas Hegenberg

Nasceu em Curitiba a 14 de março de 1925, radicando-se em São Paulo. Cursou Física e Matemática na Universidade de Mackenzie, licenciando-se em 1950, matriculando-se em seguida no Curso de Filosofia da USP, concluído em 1958. Na década de sessenta frequentou curso de pós graduação na Universidade da Califórnia (Campus de Berkeley; 1960-1962), doutorando-se em filosofia na USP, em 1966, com a tese Aspectos do problema da mudança de linguagem formalizadas. Seguiu a carreira do magistério, sendo admitido por concurso, em 1959, no Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA, de São José dos Campos, São Paulo, onde chegou a professor titular, chefe do Departamento de Humanidades e organizou a Revista ITA-Humanidades, que circulou entre 1965 e 1977, prestando inestimável serviço na difusão da contemporânea filosofia das ciências praticada na Europa e nos Estados Unidos. Com vistas ao mesmo objetivo, incumbiu-se da tradução das principais obras dedicadas àquela disciplina, compreendendo autores destacados como Karl Popper, Mário Bunge, Feyerabend, Stegmuller, etc., como antologias e manuais, em geral com a colaboração do prof. Octanny Silveira da Mota. Ao todo traduziu cerca de 80 títulos. Ao completar 30 anos de magistério foi homenageado com o Diploma de Honra pelo ITA e agraciado com a Medalha Mérito Santos Dumont, pelo Ministério da Aeronáutica. Permaneceu no ITA até 1987, aceitando, subsequentemente, convite para atuar como professor visitante na USP e em outras universidades. Publicou cerca de 200 resenhas na Revista Brasileira de Filosofia, dedicadas a obras relacionadas com a filosofia da ciência, colaborando assiduamente em outras publicações. Pertenceu ao Instituto Brasileiro de Filosofia, à Academia Brasileira de Filosofia e a diversas instituições estrangeiras.  

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 28

Manoel Joaquim de Carvalho Júnior

Nasceu na Bahia em 7 de maio de 1925. Filósofo e empresário brasileiro neo-tomista de formação, autor de extensa obra de análise crítica do existencialismo e marxismo. Destacou-se como estudioso dos mais importantes filósofos católicos, entre estes S. Agostinho, Gabriel Marcel e Maritain.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 29

Maria do Carmo Tavares de Miranda

Nasceu em Vitória de Santo Antão, Pernambuco, a 6 de agosto de 1926. Concluiu bacharelado e licenciatura em letras clássicas e filosofia na Universidade Federal de Pernambuco, doutorado em filosofia pela Universidade de Paris e doutorado e livre docência em filosofia da educação pela Universidade Federal de Pernambuco. Ingressou no magistério nessa última instituição, tornando-se professora catedrática por concurso. Foi a primeira coordenadora do Mestrado em Filosofia, tendo implantado a sua biblioteca. Aposentou-se em 1986, realizando desde então pesquisas em diversas instituições no país e no exterior, dentre estas a Fundação Joaquim Nabuco, sediada em Recife. Pertenceu à Academia Pernambucana de Letras, à Academia Internacional de Filosofia da Arte, à Academia de Filosofia, e ao Instituto Brasileiro de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre a autora:

Cadeira 30

Miguel Reale

Nasceu em São Bento do Sapucaí, São Paulo, em 6 de novembro de 1910. Descendente de italianos, cursou humanidades no famoso Colégio Dante Aligheri, de São Paulo, concluindo a Faculdade de Direito em 1934. Nos anos trinta, teve atuação política mas projetou-se sobretudo como estudioso das idéias políticas. Ganhou por concurso a cadeira de Filosofia do Direito, na Faculdade de Direito da USP, em 1941. Ocupou os altos cargos administrativos em seu Estado natal, entre estes duas vezes Secretário da Justiça e reitor da Universidade. Fundou em 1949 o Instituto Brasileiro de Filosofia (IBF), instituição que passou a abrigar representantes de todas as correntes filosóficas, fato sem precedentes porquanto, até então, as sociedades desse tipo congregavam apenas os participantes de uma única tendência. Desde 1951, o IBF mantém ininterruptamente a edição da Revista Brasileira de Filosofia, além de haver estimulado o estudo sistemático da filosofia brasileira. Granjeou, para a filosofia do direito brasileiro, reconhecimento internacional, merecendo a parcela de sua obra ao tema dedicado, tradução em diversos países além de igualmente estudado em várias universidades. Doutor honoris causa de doze universidades, entre estas Coimbra, Lisboa e Gênova. Pertenceu à Academia Brasileira de Letras, à Academia Brasileira de Filosofia, ao Instituto Histórico Brasileiro e a muitas instituições culturais do exterior. Ao completar 80 (1990) , 85 anos (1995)  e  90 anos (2000) promoveram-se eventos em sua homenagem.  Faleceu a 14 de abril de 2006.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 31

Nelson Nogueira Saldanha

Cadeira 32

Dom Odilão Moura O.S.B.

Nasceu em São Paulo em 2 de maio de 1918 e cursou a Faculdade de Direito do Rio de Janeiro. Nos anos trinta foi atraído pelo movimento de renovação católica impulsionado pelo Cardeal Leme, que levou uma parte da juventude acadêmica a optar pela vida monástica. Nessa fase, ingressa na Ordem de São Bento. Desde então dedica-se exclusivamente à vida sacerdotal e ao magistério nos institutos mantidos pela Ordem. Interessou-se também pelo debate filosófico, nele intervindo para defender a tese de que a filosofia tomista expressaria de modo mais adequado o ponto de vista católico. A serviço dessa visão, debruçou-se sobre o pensamento católico brasileiro. Com a fundação da Academia Brasileira de Filosofia, cuja diretoria passou a integrar, voltou-se para o debate filosófico efetivado em outros círculos. 

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 33

Paulo Mercadante

Nasceu em Carangola, Minas Gerais, em 1923, passando a residir no Rio de Janeiro, desde o início do último pós-guerra, onde diplomou-se em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, licenciando-se também em História e Geografia. Exerceu o magistério, dedicando-se posteriormente à advocacia na mesma cidade. Membro do Instituto Brasileiro de Filosofia é um dos artífices da cooperação com pesquisadores portugueses, de que resultou a criação do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, com sede em Lisboa. Juntamente com Antonio Paim, é autor do plano das Obras Completas de Tobias Barreto, afinal aprimorado e publicado por Luiz Antonio Barreto, em fins da década de oitenta. Destacou-se como estudioso do pensamento político brasileiro. Pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 34

Frei Pedro Secondi

Nasceu na França em 1901, seguindo a carreira militar, como oficial da Marinha Francesa. Optou entretanto pela vida religiosa, ingressando na ordem dos Dominicanos, ordenando-se sacerdote e doutorando-se em Filosofia e Teologia. Foi mandado ao Brasil em 1931, onde se radicou desde então, agregando-se ao Convento Dominicano do Leme no Rio de Janeiro. Juntamente com Alceu Amoroso e o pe. Leonel Franca organizou, em 1932, o Instituto Católico de Estudos Superiores, que deu origem à Pontifícia Universidade Católica daquela cidade. Integrou o Corpo Docente dessa instituição, tendo sido igualmente professor de filosofia na Universidade de Santa Úrsula. Pertenceu à Academia Brasileira de Filosofia. Faleceu a 12 de maio de 1992.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 35

Ricardo Vélez Rodrigues

Nasceu em Santa Fé de Bogotá, Colômbia, a 15 de novembro de 1943. Realizou estudos no Instituto Tihamer Toth, de Bogotá, matriculando-se em seguida na Universidade Pontifícia Javeriana (Bogotá), onde se licenciou em filosofia (1963). Concluiu o mestrado na PUC do Rio de Janeiro (1974) e o doutorado na Universidade  Gama Filho, Rio de Janeiro (1982), ambos em filosofia. Iniciou carreira no magistério na Universidade de Medellin (Colômbia), onde foi pró-reitor de pós-graduação e pesquisa. Em fins da década de setenta decidiu radicar-se entre nós, tendo se naturalizado brasileiro. Atuou como pesquisador na Sociedade Convívio (São Paulo), pertenceu ao Corpo Docente da Universidade Estadual de Londrina, onde foi diretor do Centro de Ciências Humanas e chefe do Departamento de Filosofia.  Convidado para integrar a equipe de pós-graduação da Universidade Gama Filho, integrou-se a esse grupo a partir de 1983, sendo presentemente professor titular. Foi também professor adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora (a partir de 1985). Pertence à Academia Brasileira de Filosofia e ao Instituto Brasileiro de Filosofia. Foi Ministro da  Educação do Governo Jair Bolsonaro.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 36

Padre Stanilavs Ladusans, S.J.

Nasceu a 22 de agosto de 1912 na cidade de Rudzeisi, na Letônia. Seguiu a carreira sacerdotal, tendo cursado filosofia e teologia na Universidade Católica de Riga e, posteriormente, na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, onde se doutorou em filosofia. Foi mandado ao Brasil pela Ordem dos Jesuítas, a que pertencia, tornando-se professor na Faculdade de Nossa Senhora Medianeira, pertencente àquela ordem religiosa. Fundou o Centro de Pesquisas Filosóficas - COPEFIL, que funcionou em São Paulo em fins da década de setenta e começos da seguinte, transferindo-se para o Rio de Janeiro, nas instalações da Ordem junto à PUC. Idealizou uma série de depoimentos de autores nacionais , reunindo-os no livro Rumos da filosofia atual no Brasil. Fundou a Sociedade Brasileira de Filósofos Católicos e a Revista Presença Filosófica. Pertenceu ao Instituto Brasileiro de Filosofia. e à Academia Brasileira de Filosofia. Faleceu a 25 de julho de 1993, aos 80 anos de idade.
 

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 37

Ubiratan Borges de Macedo

Nasceu em Curitiba, Paraná, a 21 de agosto de 1937. Concluiu a Faculdade de Direito do Paraná em 1960 e, simultaneamente, o curso de filosofia na PUC-PR. Durante o ano de 1963 fez curso de especialização em direito na USP. Subsequentemente, em 1967/1968 estudou Filosofia Social e História da Filosofia, em nível de pós-graduação, na Universidade de Louvain (Bélgica). Fez o mestrado em filosofia na PUC do Rio de Janeiro, concluído em 1976 e doutorado na mesma área na Universidade Gama Filho, igualmente no Rio de Janeiro, concluído em 1984. Seguiu a carreira do magistério na Universidade Federal do Paraná, onde chegou a professor titular, aposentando-se nessa condição. Pertenceu também ao Corpo Docente da Escola Superior de Guerra, no Rio de Janeiro, e do Colégio Interamericano de Defesa, em Washington, Estados Unidos. Desempenhou diversas funções oficiais, entre estas membro da Comissão Nacional de Moral e Civismo (1976-1980) e do Conselho Federal de Educação (1984-1988). Foi ainda professor dos cursos de pós-graduação em filosofia e direito, da Universidade Gama Filho, e do doutorado em direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Faleceu em Curitiba a 16 de julho de 2007.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 38

Urbano Zilles

Nasceu na cidade de Nova Petrópolis, Rio Grande do Sul, em junho de 1937.  Seguiu a carreira eclesiástica, tendo frequentado o Seminário de N. S. da Conceição, em Viamão, no Rio Grande do Sul, onde concluiu filosofia, tendo completado a sua formação em teologia na Faculdade de Teologia de Beuron na Alemanha Ocidental (1962/1966). Fez curso de doutorado na Universidade de Muenster (1966/1969). De volta ao Brasil, dedicou-se ao magistério, primeiro como professor de filosofia na Faculdade de Filosofia N. Sra. da Imaculada Conceição, de Viamão, transferindo-se posteriormente para a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, onde se tornou professor titular (1977). Nessa última instituição, foi sucessivamente coordenador do curso de pós-graduação em filosofia e ciências humanas (1978/1987) e, desde fins de 1987, Pró-Reitor de pesquisa e pós-graduação. Desenvolve grande atividade nos círculos universitários brasileiros, fazendo conferência, dando cursos e participando de bancas de concurso. É assíduo colaborador das principais revistas filosóficas nacionais. Pertence à Academia Brasileira de Filosofia.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 39

Vamireh Chacon

Nasceu no Recife em 1º de fevereiro de 1934. Concluiu, em 1956, o curso de Filosofia na Universidade Católica de Pernambuco, e o de Direito na tradicional Faculdade de Direito do Recife, onde também cursou o doutourado, defendendo tese sobre Sociologia do Direito (1959). Subsequentemente, realizou pós-graduação nas universidades de Munique , Colônia e Muenster ( República Federal da Alemanha), e Universidade de Chicago, Estados Unidos da América. Iniciou sua carreira docente em Pernambuco, em 1958. Transferindo-se  em 1975 para a Universidade de Brasília, onde exerceu vários cargos, integrando o Departamento de Ciência Política e Relações Internacionais. Em Munique, Colônia e Muenster foi aluno dos últimos representantes da chamada Sociologia Clássica - Alfredo von Martin, Hans Freyer e Leopold von Wiese - tendo também conhecido de perto Alfred Weber, irmão de Max Weber, e os membros da Escola de Frankfurt, em especial Theodor W. Adorno e Jurgen Habermas. Recebeu o prêmio Joaquim Nabuco, de ensaios, da Academia Brasileira de Letras, e um dos prêmios Thomas Mann, instituidos pela Embaixada da República Federal da Alemanha e União Brasileira de Escritores, em 1972. Doutor Honoris Causa pela Universidade de Erlangen-Nuremberg, Alemanha (1955).

Bibliografia e estudos sobre o autor:

Cadeira 40

Wilson Alves Chagas

Nasceu em Jaguarão, Rio Grande do Sul em 17 de abril de 1921. Magistrado e professor universitário, em seus ensaios de crítica literária procura fundá-la filosoficamente. Procura também refletir a problemática histórica e cultural das obras e, a situação do autor  em sua época. Além de formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da URGS, Porto Alegre, em 1948, obteve o certificado de Estudos Superiores de Filosofia Geral e Lógica, expedido pela Faculdade de Letras da Universidade de Paris, em 1955. É ex professor da mesma Faculdade de Direito  em que se formou, bem como da Escola Osvaldo Vergara de pós-graduação em Ciências Jurídicas e Sociais, também de Porto Alegre. Membro fundador da Academia Brasileira de Filosofia. Colabora intensamente na imprensa periódica de Porto Alegre, São Paulo e outros estados.

Bibliografia e estudos sobre o autor:

© 2020 Academia Brasileira de Filosofia