Carlos Nejar

Poeta, tradutor,​ escritor e crítico literário

PUC/RS

Livros selecionados

  • Sélesis - Livraria do Globo, Porto Alegre, 1960.

  • Livro de Silbion - editora Difusão de Cultura, Porto Alegre, 1963.

  • Livro do tempo - editora Champagnat, Porto Alegre, 1965.

  • O campeador e o vento - editora Sulina, Porto Alegre, 1966.

  • Danações - José Álvaro Editor, Rio de Janeiro, em 1969.

  • Ordenações, editora Globo em convênio com o Instituto Nacional do Livro (INL). Prêmio Jorge de Lima, Porto Alegre, 1971.

  • Canga (Jesualdo Monte), editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, em 1971.

  • Casa dos arreios - editora Globo, em convênio com o INL, Porto Alegre, 1973.

  • O poço do calabouço, coleção "Círculo de Poesia ", Livraria Moraes Editores, Lisboa, 1974. Prêmio Fernando Chinaglia, para a melhor obra publicada no ano de 1974, pela União Brasileira de Escritores, Rio.

  • O poço do calabouço, editora Salamandra, Rio de Janeiro, 1977.

  • De sélesis a danações, editora Quíron, em convênio com o INL, 1975.

  • Somos poucos, editora Crítica, Rio de Janeiro, em 1976.

  • Árvore do mundo, editora Nova Aguilar e convênio com o INL, 1977, Prêmio Luíza Cláudio de Souza, do Pen Clube do Brasil, como melhor obra publicada naquele ano.

  • O chapéu das estações, editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1978;

  • Três livros: O poço do calabouço, Árvore do mundo e Chapéu das estações, num só volume - Círculo do Livro, São Paulo, 1979.

  • Os viventes, editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1979.

  • Um país o coração, editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1980.

  • Obra poética (I) - (Sélesis, Livro de Silbion, Livro do Tempo, O Campeador e o Vento, Danações, Ordenações, Canga, Casa dos Arreios, Somos Poucos e o inédito, A Ferocidade das Coisas), editora Nova Fronteira , Rio de Janeiro, 1980. Prêmio Érico Veríssimo, Câmara Municipal de Porto Alegre, 1981.

  • Livro de Gazéis, Moraes Editores, "Coleção Canto Universal", Lisboa, Portugal, 1983; Editora Record, Rio de Janeiro, 1984.

  • Os melhores poemas de Carlos Nejar, editora Global, São Paulo, 1984.

  • A genealogia da palavra (Antologia Pessoal), editora Iluminuras, São Paulo, 1989.

  • Minha voz se chama Carlos (Antologia), Unidade Editorial, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1994;

  • Amar, a mais alta constelação, Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro, 1991, Troféu Francisco Igreja, da União Brasileira de Escritores, Rio.

  • Meus estimados vivos (com ilustrações de Jorge Solé), Editora Nemar, Vitória, ES, em 1991.

  • Elza dos pássaros, ou a ordem dos planetas, editora Nejarim-Paiol da Aurora, Guarapari, ES, 1993.

  • Canga (Jesualdo Monte), edição bilíngüe (espanhol e português), tradução ao espanhol de Luis Oviedo, editora Nejarim-Paiol da Aurora, Guarapari, ES, 1993.

  • Simón Vento Bolívar, bilíngüe (português e espanhol), tradução ao espanhol de Luis Oviedo, editora Age, Porto Alegre, RS, 1993.

  • Arca da Aliança, (personagens bíblicos), editora Nejarim - Paiol da Aurora, Guarapari, ES, 1995.

  • Os dias pelos dias (Canga, Árvore do mundo e O Poço do calabouço), Editora Topbooks, Rio de Janeiro, 1997.

  • Sonetos do paiol, ao sul da aurora , LP&M Editores, Porto Alegre, RS, 1997.

  • Todas as Fontes Estão em Ti. Editora Eclésia, São Paulo, 2000.

  • A Espuma do Fogo. Atelier Editorial, São Paulo, 2002.

  • Poesia Reunida. 2 vols. – A Idade da Noite e A Idade da Aurora. Atelier Editorial/Fundação Biblioteca Nacional, São Paulo/Rio de Janeiro, 2000.

  • A Idade da Eternidade (poesias completas). Lisboa, 2001.

  • Arca da Aliança. Editora Pergaminho, Cascais, Portugal, 2004.

  • Tratado de Bom Governo. Escrituras, São Paulo, 2004.

  • Pequena Enciclopédia da Noite, Editora Quase, Porto, Portugal, 2008.

  • POESIA REUNIDA: I. AMIZADE DO MUNDO; II. IDADE DA ETERNIDADE, editora Novo Século, São Paulo, 2009.

  • O derradeiro Jó, R&F editora, Goiânia, 2009.

  • Os Viventes, 3ª edição( com mais 200 viventes), editora Leya, São Paulo, 2010.

  • Odysseus, o Velho. Companhia editorial, Porto Alegre, 2010.

  • A idade da aurora (Rapsódia), editora Massao-Ohno, São Paulo, comemorando os 30 anos de poesia do autor, 1990.

  • Poemas dramáticos (Fausto, As parcas, Joana das Vozes, Miguel Pampa e Ulisses), editora Record, Rio, 1983.

  • Vozes do Brasil (Auto de Romaria), Livraria José Olympio Editores, Rio de Janeiro, 1984.

  • O pai das coisas, L&PM Editores, Porto Alegre, RS, 1985.

  • Fausto, edição. bilíngüe (português e alemão). Tradução ao alemão de Kurt Sharf, editora Tchê, Porto Alegre, 1987.

  • Miguel Pampa, editoras Nemar e Massao-Ohno, Vitória e São Paulo, em 1991.

  • Teatro em versos (reunião num volume, com prefácio de Antônio Hohlfeldt), de Miguel Pampa, Fausto, Joana das Vozes, As parcas, Ulisses, Fogo branco (Vozes do Brasil), O pai das coisas e o inédito Auto do juízo final ou Deus não é uma andorinha, edição da Funarte, do Rio de Janeiro, 1998.

  • Memórias do porão, livraria José Olympio editora, Rio de Janeiro , 1985.

  • Aquém da infância, editora Nejarim - Paiol da Aurora (comemorando os 35 anos de poesia), Guararapi, ES, 1995.

  • Jericó soletrava o Sol & As coisas pombas, editora Globo, Rio de Janeiro, 1986.

  • O menino-rio, 2a edição, editora Mercado Aberto, Porto Alegre, RS, 1985.

  • Era um vento muito branco, editora Globo, Rio de Janeiro, 1987. Prêmio Monteiro Lobato, da Associação Brasileira de Crítica Literária, Rio, 1988.

  • A formiga metafísica, editora Globo, Rio de Janeiro, 1988.

  • Zão, editora Melhoramentos, São Paulo, 1988. Prêmio como o melhor livro infanto-juvenil da Associação Paulista de Críticos de Arte, 1989.

  • Grande vento (com ilustrações de Cristiano Chagas), em forma de quadrinhos, Edições Consultor, Rio de Janeiro, 1997.

  • Um certo Jaques Netan, Coleção Aché dos "Imortais da Literatura", S. Paulo, 1991, Editora Record, Rio de Janeiro.

  • O túnel perfeito, editora Relume-Dumará e UFES, Rio de Janeiro, 1994.

  • Carta aos loucos, editora Record, Rio de Janeiro, 1998.

  • Riopampa – O Moinho das Tribulações. São Paulo: Editora Eclésia – Força Editorial, 2000. Ed. não comercial. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004. 2.a ed., 2006.

  • Ulalume. Rio de Janeiro: Ed. Bluhm, 2001.

  • O Selo da Agonia (Livro dos Cavalos). Ed. Razão Cultural, Rio de Janeiro, 2002.

  • O Livro do Peregrino. Ed. Objetiva, Rio de Janeiro, 2002. Ed. Portuguesa, Lisboa: Ed. Pergaminho, 2002.

  • O Evangelho segundo o Vento. Ed. Escrituras, São Paulo, 2002.

  • A Engenhosa Letícia do Pontal. Ed. Objetiva, Rio de Janeiro, 2003.

  • O Poço dos Milagres. Bertrand, Rio de Janeiro, 2004.

  • Jonas Assombro, Novo Século Editora, Osasco-SP, 2008.

  • O fogo é uma chama úmida (Reflexões sobre a poesia contemporânea), "Coleção Afrânio Peixoto, vol. 23", Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, 1995.

  • Escritos com a Pedra e a Chuva. Rio de Janeiro, Academia Brasileira de Letras, 2000. (Coleção Afrânio Peixoto, vol. 54.)

  • O Caderno do Fogo. Editora Escrituras, São Paulo, 2000. (Coleção Ensaios Transversais); 2.a ed., 2002

  • História da Literatura Brasileira, Relume Dumará, Rio de Janeiro, 2007.

  • História da Literatura Brasileira (atualizada) , Ed. Leya, 2010.

© 2019 Academia Brasileira de Filosofia